Ninguém pode julgar a qualidade da oração de outra pessoa, mas os frutos das orações são auto-evidentes. Se orarmos como Jesus ensinou, viveremos como ele ensinou. Isso ficou claro para os primeiros cristãos que diziam: ?A maneira como você vive é a maneira pela qual você ora?. Se a oração não faz diferença - se antes de tudo não muda a pessoa que está orando - então algo está errado.