"Senhor, que eu veja!"
Deus se manifesta para nós em mil maneiras, basta querer abrir os olhos.
Finalidade principal da meditação cristã é viver a presença ignorada de Deus em nós.
Ver a Deus em tudo que somos e que façamos. Por isso a prática da meditação diária tem como meta esta visão contemplativa da vida. Isso faz que realizando nossas ocupações corriqueiras demos a elas o verdadeiro sentido. Descobrimos que além daquilo que vemos ou vivenciamos, existe uma realidade mais profunda: a presença amorosa de Deus. Isso é fácil admirando um bonito pôr de sol ou uma rosa, uma criança. Não é fácil, porém, ver Deus na adversidade do coronavírus, no pobre, no doente repugnante, na pessoa molesta, no delinquente, no político que detestamos. Tudo isso exige a renuncia a si mesmo e abraçar a cruz. É evidente que devemos repudiar o mal, nunca a pessoa. Odiar o mal, amar o pecador que esconde dentro de si a imagem do Criador. Cristo na cruz se fez pecado para salvar a todos. Na meditação diária ao silenciar o nosso pobre raciocínio humano, deixamos o caminho aberto para a ressurreição do Cristo em nós.