Alguns amigos do Ora et Labora se queixam das críticas que fazemos da atuação do governo. 
 Frisamos que desejamos que ele acerte, pois atitudes e legislação provocam morte ou vida.  No que se refere à conduta e disposições acerca da pandemia  do coronavírus ninguém tem absoluta certeza de como agir. A ciência e os médicos lutam para manter vivos os doentes e a população. Existe também  a catástrofe da economia.  Que fazer? Encontrar um meio termo?  A conduta e declarações de autoridades minimizando a  possível hecatombe nos parece leviana e assassina e contra a dura experiência de outros países que foram surpreendidos por esta nova peste!  Nosso Pais foi avisado em tempo para se preparar.  Governadores e prefeitos não ligaram e permitiram aglomerações e carnavais, mas a tal de "gripisinha" se alastra e como deus é dos brasileiros, ficamos fingindo de governar o país e provocamos uma terrível crise política, pois em lugar da conciliação dos opostos como seria uma boa definição da política, colecionam-se, como nunca, adversários entre os próprios amigos e apoiadores e assim só se acirra a luta fraterna apelando claramente à impossibilidade de governar. Cegos frente à própria incapacidade  de gestar, tudo da para pensar que estamos perto da sonhada e elogiada ditadura até com direito à  tortura e execução apregoada desde a campanha eleitoral e  desprezando o juramento de obedecer à Constituição. Nos parece que estamos com uma epidemia de distúrbios mentais, quando se renuncia à ciência e ao bom senso. O Deus verdadeiro que não é religioso salve o Brasil.  Oxalá que estivéssemos errados! Perdoem, se assim pensamos